Viajar transforma o ser humano

Home > Blog > Viajar transforma o ser humano



Parceiros HEVP

Viajar transforma o ser humano

10 DE AGOSTO DE 2017

Viajar é muito mais do que conhecer uma nova cultura: é aprender que o mundo em que vivemos não é o mundo de todos; que tudo que achávamos que era verdade torna-se relativo; e que as pessoas são mais heterogêneas do que se imagina.

Viajar é abrir a cabeça, aprender a ser mais tolerante e quebrar paradigmas, além de ser um ato de autoconhecimento, pois é viajando que adquirimos confiança e descobrimos que somos muito mais capazes do que imaginamos.

Não importa o destino, o orçamento ou a forma que se viaja: o importante é querer enxergar aquele novo ambiente e como as pessoas interagem entre si. É ter empatia e entender que não há verdade absoluta.

Pode ser um país distante ou até uma outra cidade dentro do seu próprio país. Se a pessoa estiver disposta a encarar a viagem como uma descoberta, perceberá que existe um mundo até então desconhecido e que poderá servir de modelo para o seu novo modo de encarar a vida.

Viajar para um país mais desenvolvido que o seu, lhe mostrará aquele mundo que muitos acreditam ser o "ideal", do qual talvez você quisesse fazer parte. No entanto, sabemos que o mundo perfeito não existe e que todos os lugares têm defeitos.

Por outro lado, quando conhecemos locais mais carentes ou com um modo de viver muito diferente do nosso, percebemos que as pessoas também são felizes, mesmo que ainda falte o que julgamos ser o básico para uma "vida digna". Nesses casos, o choque cultural tende a ser muito mais forte e possivelmente será aí que a mudança na forma de ver o mundo e a vida seja mais impactante.

Será que o que é importante pra gente é importante pra todos?

Será que o conceito de felicidade é universal?

As perguntas nunca deixarão de existir...

Uma viagem à Suíça, por exemplo, mostra uma realidade completamente diferente de uma viagem ao Sri Lanka, mas as duas, com certeza, têm muito a ensinar, afinal, quanto mais viajamos, mais temos a certeza de que não sabemos nada do mundo.

Algumas pessoas têm aquela vontade de mudar o mundo, de fazer a diferença, e nem sempre conseguem tirar os planos da imaginação por não encontrarem o suporte necessário para poderem colocar literalmente a mão na massa. Entretanto, o que muitos não imaginam é que passar informação é também uma forma de mudar o mundo.

O simples ato de contar as nossas experiências já pode fazer a diferença na vida das pessoas. Mostrar as diferentes perspectivas, os diferentes hábitos de outros povos e o que aprendemos durante as viagens, tudo com muito respeito ao próximo, podem fazer com que modifiquemos pequenos hábitos do dia a dia, como mudar a nossa forma de viver visando a um consumo consciente e diminuindo o desperdício, por exemplo.

Seja qual for o lugar: viaje, descubra, reflita, olhe para o próximo, quebre a barreira do preconceito e aceite o mundo com a sua diversidade. Faça a diferença!

- Gabi Moniz e Fabrício Faria do Projeto 101 Países.

COMPARTILHE ESSE POST

COMENTÁRIOS